IRSAS

Informatização da Rede de Serviços socioassistenciais
   

       Sistema Irsas- Informatização da Rede de Serviços socioassistenciais desenvolvido pela equipe técnica (assistente social e estagiário de TI) da Secretaria Municipal de Assistência Social em 2005, encontra-se no ar desde então atendendo à Secretaria Municipal de Assistência Social e todos os serviços da Rede Socioassistencial Governamental e Não Governamental. Além disso, esse sistema também está disponível para o INSS, Ministério Público, Cohab, ACESF, CMTU (para o serviço de reciclagem de resíduos sólidos), Conselhos Tutelares, Secretaria de Educação do Município e do Estado, Secretaria de Saúde, Escolas de Educação Especial, Secretaria da Mulher, Secretaria do Idoso. Na Secretaria de Assistência Social o IRSAS é utilizado em todas as suas unidades de atendimento, em todos os seus serviços, inclusive na gestão local dos programas de transferência de renda do governo federal e municipal e na gestão de benefícios municipais.
    O sistema é disponibilizado para a rede de serviços governamental e não governamental de proteção social básica e especial, contemplando todas as peculiaridades dos serviços em questão, registrando diferentes ocorrências conforme especificidades identificadas. Esta função permite que todos os serviços conheçam os atendimentos/vulnerabilidades/encaminhamentos dados pelos outros serviços, sempre compartilhando os dados dentro dos princípios da ética que rege os profissionais e seus conselhos de classe.
    O sistema também atende a necessidade de prontuário digital do público usuário das políticas publicas, emitindo relatórios de conhecimento das vulnerabilidades por bairro/território, conhecimento do perfil do público, dos serviços que cada família faz uso na rede, dos benefícios que utiliza, integrando o atendimento de forma transversal, permitindo ainda que as famílias sejam atendidas sempre a partir de sua história de vida, sem interromper a construção coletiva dada pela rede de serviços e eliminando as distorções nas histórias de vida dadas por cada membro do domicílio, bem como, permite a eliminação de duplicidade de benefícios, contribuindo, assim, para o cumprimento do princípio da eficiência na administração pública, visto possibilitar a otimização dos recursos e ampliação de seu alcance.
     O sistema oportuniza ao gestor conhecimento da realidade, através da vigilância social a emissão de diagnóstico socioterritorial, possibilitando a construção de um planejamento estratégico pautado nas reais necessidades do público em seus territórios.

 

Cadastros:

O cadastro completo de cada pessoa no Irsas é formado várias categorias de informações, tais como:

  • dados pessoais;
  • identificação do domicílio no cadastro único;
  • dados do responsável;
  • filiação;
  • documentos pessoais;
  • escolaridade e escola;
  • situação ocupacional e renda familiar;
  • dados para contato;
  • mapeamento da situação de deficiência;
  • dados do cumprimento das condicionalidades;
  • localização (endereço da residência ou de serviço onde se encontra dentro da rede sócio assistencial);
  • composição familiar;
  • ocorrências (registro de todos os procedimentos realizados); armazenando todo o histórico de atendimento com a família, o registro pode ser efetivado em todos os serviços da rede.
  • avaliação de vulnerabilidade baseado em indicadores de proteção social básica e de proteção social especial;

 

Os relatórios devem permitir:

  • controle sobre as ações desenvolvidas por todos os usuários dos sistema de todas as atividades desenvolvidas pelos serviços socioassistenciais do município.
  • relatórios quantitativos de atendimentos, encaminhamentos e benefícios fornecidos;
  • perfil da população atendida com base territorial;
  • índice de vulnerabilidade das famílias, de uma região, ou de um determinado bairro;
  • perfil dos beneficiários com vários indicadores a serem cruzados;
  • concentração de demanda;
  • subsídio à vigilância social e defesa socioinstitucional
  • mapeamento das vulnerabilidades por território, serviço, outras.
  • distribuição dos benefícios por território – gestão local da política
  • perfil /vulnerabilidades do público beneficiário
  • controle do trabalho técnico – monitoramento dos procedimentos adotados nos serviços
  • controle da gestão de benefícios, programas, projetos e serviços.
  • mapeamento das demandas por território ou serviço
  • controle das atividades realizadas nos serviços
  • diagnóstico socioterritorial e planejamento dos serviços a partir das vulnerabilidades locais e da cobertura dos serviços por público.

 

Possibilidades:

  • controle das ações executadas nos serviços
  • auditoria de registros técnicos
  • prontuário digital
  • gestão de benefícios
  • avaliação de vulnerabilidades
  • controle e gestão da política local

 

Integração com o CADASTRO ÚNICO:

  • base de dados do cadastro único, incorporada ao Irsas
  • possibilita a localização de irregularidades no cadastro único
  • controle dos dados dos beneficiários do cadastro único no âmbito local
  • integração dos programas sociais da união x programas locais
  • inserção em prontuário digital do código da Ubs do beneficiários – cruzamento da base da saúde para execução das condicionalidades
  • gestão local do cadastro único
  • acompanhamento dos procedimentos realizados com os beneficiários na rede de serviços através das “ocorrências”
  • acompanhamento da gestão de benefícios nas três esferas de governo
  • integração dos níveis de gestão (básica e especial- processo de referência e contra referência).

 

     Interface do sistema de cadastro e controle da Secretaria de Assistência Social. O processo de descentralização da Secretaria municipal de Assistência Social e as demais diretrizes que compõe a organização do serviço da mesma fizeram surgir uma essencial necessidade de construção de um sistema que facilitasse a organização das informações visando garantir o cumprimento da Lei Orgânica de Assistência Social através de um trabalho mais ágil e eficiente.

Plano Municipal de Assistência Social 2018-2021

O Plano de Assistência Social representa uma estratégia de planejamento construído coletivamente pelos envolvidos na política, é uma oportunidade de reflexão sobre a capacidade de proteção desta política, de reconhecimento dos desprotegidos e das situações que demandam ampliação de proteção.
O Plano Municipal de Assistência Social aqui apresentado está em fase de diálogo com os trabalhadores, gestores e usuários desta política (aberto a sugestões até 17 de dezembro).

Nesta fase de apreciação é possível aos interessados inserir novas diretrizes, ações e prioridades, que se encontram no arquivo (Formulário para sugestão de alteração ou novas diretrizes, ações ou estratégias). O formulário possibilita que os interessados participem ativamente na construção deste plano que irá direcionar as ações desta política pelo período de 2018-2021.

Destacamos que a constante reformulação do diagnóstico, e do plano e o processo participativo serão contínuos.

Após a sistematização das contribuições se dará a aprovação pelo Conselho Municipal de Assistência Social em reunião.

Plano Municipal de Assistência Social 2018-2021

Diretrizes, Ações e Estratégias.

Formulário para sugestão de alteração ou novas diretrizes, ações ou estratégias.

Processos e Produtos: Implantação da Vigilancia Socioassistencial de Londrina

2encontro

graficosMatrizes

geral centroA centroB
leste norteA norteB
oesteA oesteB rural
sulA sulB

 

mapas

Ciclo de Vida 6 - 11 anos

 

territorios

Clique aqui para consultar outros Mapas

site

img-site

vigilancia

 
 

  territorios

Mapas - Vigilância Territorial

 

 

XII Encontro Nacional de Vigilância Socioassistencial - 2020

O XII Encontro Nacional de Vigilância Socioassistencial está previsto para ser realizado entre os dias 24 e 26 de março de 2020.

Edital e demais informações serão anunciadas em breve no site do Ministério da Cidadania. Fiquem atentas!

 

I Encontro Municipal sobre a Vigilância Socioassistencial 

      Em 2014 realizamos o Primeiro Encontro Municipal sobre a Vigilância Socioassistencial, a partir deste evento sistematizamos um Grupo de Trabalho - GT de Vigilância no município de Londrina.

Vídeo apresentado no Primeiro Encontro Municipal sobre a Vigilância Socioassistencial - Olhares