Parque Municipal Arthur Thomas

  

  A Unidade de Conservação Municipal Parque Arthur Thomas[1] está localizada na região sul do Município de Londrina, representa o último remanescente florestal de grande porte localizado na área urbana, a 03 km da área central, ocupa 85,47 hectares (0,05% da área do Município). O acesso principal se dá pela Avenida Dez de Dezembro com entrada pela Rua da Natureza, nº 155, no Jardim Piza, aberto de terça a domingo das 8h30 às 18h00. Nesta UC encontra-se a usina hidrelétrica do ribeirão Cambé - Usina Cambé[2], a primeira de Londrina, inaugurada em 8 de fevereiro de 1939, atualmente desativada.

 Por se tratar de um parque urbano, torna-se estratégico para a prática de esportes, pesquisas, lazer e contemplação, mas ao mesmo tempo a delimitação do espaço é indispensável para a segurança dos usuários locais e turistas, conservação e preservação ambiental da fauna e da flora ali existentes.

 

Ficha Técnica

Nome da Unidade de Conservação: Parque Arthur Thomas

Unidade gestora responsável: Secretaria Municipal do Ambiente – SEMA

Endereço da Sede (SEMA): Rua da Natureza, 155 - Jd. Piza - Londrina - PR

Telefone: (43) 3372-4750

Telefone da Diretoria responsável pelo parque: (43) 3372-4762

Superfície: 85,47 ha

Perímetro: 6.810,12 m

Município (s) abrangido: inserido no município de Londrina

Estado (s) que abrange: Paraná

Coordenadas geográficas: 23º20'48.14''S – 51º08'31.76''W

Data da criação e nº da Lei: 17/09/1975, Lei Municipal nº 2.564

Marcos geográficos referenciais dos limites: Não existentes

Biomas e ecossistemas: Floresta Estacional Semidecidual - Mata Atlântica

Atividades ocorrentes:

  1. Pesquisa científica;
  2. Visitação educativa e de lazer;
  3. Práticas Esportivas;
  4. Observação da fauna e flora.

[1]   O Parque recebeu o nome de Arthur Thomas em homenagem ao desbravador e fundador de Londrina. Arthur Hugh Miller Thomas, escocês, nascido em 13 de dezembro de 1889 em Edimburgo.

[2]   A Usina Cambé ou Cambezinho foi construída pelos engenheiros Gastão de Mesquita Filho e André Kotchetkoff, aproveitando-se uma queda d´água de 50 metros do ribeirão Cambé. A construção da edificação que abrigava o gerador contou com o trabalho de 50 operários, funcionou durante 28 anos e abastecia metade da cidade de Londrina, a outra metade era abastecida por grupos geradores térmicos da Empresa Elétrica de Londrina Sociedade Anônima (EELSA). Em 1967, a EELSA, já contava com a energia gerada pela Usina Apucaraninha, fornecendo 9.000 kW. O que tornou inviável manter funcionando a Usina Cambé, desativada em 10 de outubro de 1967. Com a venda da EELSA para a empresa estatal Companhia Paranaense de Energia Elétrica (COPEL), foi excluído do negócio a Usina Cambé e a área que a circundava, em parte coberta por floresta nativa. A Prefeitura de Londrina tinha interesse que essas áreas lhe fossem doadas, a Companhia Melhoramentos, atendeu a esse interesse com a condição de preservação da área coberta de matas e a obrigação de recuperar a Usina, mantendo as características originais. Foi estabelecido ainda, que o poder público se obrigaria a transformar o local em parque municipal. Foi assim que em 1975 criou-se, através da Lei n.º 2.564 de 17 de setembro, o “Parque Mr. Thomas” e em 10 de dezembro de 1987, o Parque foi efetivamente aberto ao público.


Imprimir   Email