Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Dermatologista conversa com idosos do CCI Leste

Share

Médica falará sobre a hanseníase; intenção é esclarecer as dúvidas e falar sobre a identificação, diagnóstico e tratamento

 

Os idosos da região leste, interessados em saber mais sobre a hanseníase podem participar da palestra que será ministrada na próxima segunda-feira (16), às 14 horas, na sede do Centro de Convivência da Pessoa Idosa da Região Leste, que fica na Rua Gabriel Matokanovic, 260, no Jardim da Luz. O encontro é gratuito e não precisa se inscrever antes. Os interessados podem tirar dúvidas pelo (43) 3375-0307.

A palestrante será a dermatologista Cristina Maria Aranda. Ela falará sobre a hanseníase, que é uma doença crônica e infectocontagiosa, causada pela bactéria Mycobacterium leprae. Ela é transmitida por via respiratória, através da tosse, espirro ou pelas gotículas de saliva, como a gripe, por exemplo. Somente transmitem a doença as pessoas em estágio mais avançado e sem tratamento. Isso porque, é necessário ter uma grande quantidade do bacilo para expeli-los no ar.

Durante o encontro, os idosos saberão mais sobre a identificação da doença, poderão sanar as dúvidas sucitadas sobre ela, as formas de tratamento e o preconceito que ainda existe. De acordo com a médica do Cismepar, no ano passado, 35 pessoas foram diagnosticadas com a doença, em Londrina. “A hanseníase é uma doença que só 5 a 10% da população pode adquirir, porque os outros 90 a 95% são geneticamente imunes. Ela é rara em crianças, mas atinge principalmente pacientes adultos, por isso é importante conversarmos com os idosos sobre ela”, explicou.

Além disso, a médica lembra que muitas pessoas, devido à falta de informação, ainda têm preconceito com aqueles que estão com a doença. Alguns deixam de conviver com o doente ou até mesmo de fazer carinho ou abraçá-los por conta do medo de pegar a doença. Porém, ela não se transmite com o toque na pele, aperto de mão ou abraços.

Em casos suspeitos - Os cidadãos que suspeitarem da doença devem procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência. Após o exame clínico, se constatada a suspeita, o paciente será encaminhado para os exames específicos e biópsia. O tratamento é totalmente gratuito e oferecido pela rede pública de saúde. Ele é feito por meio de medicamento via oral e acompanhamento médico. Em estágios iniciais, dura seis meses para ser finalizado; em graus mais avançados, é preciso 12 meses para conclusão.

Esta palestra é fruto da parceria estabelecida entre a Secretaria Municipal do Idoso com a Unimed Londrina.

Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 3799 visitantes

Núcleo de Comunicação

Banner
Banner