Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Professores respondem pesquisa sobre ampliação de jornada

Share

NomeacaoProfessorArquivoP 2

O objetivo da Secretaria Municipal de Educação é mensurar quantos profissionais teriam interesse em ampliar sua carga horária de trabalho, passando de 20 para 30 horas semanais

 

A Secretaria Municipal de Educação inicia, a partir desta terça-feira (14), uma pesquisa com os professores da rede que atuam nas escolas municipais (do P5  ao 5º ano). O objetivo é mensurar quantos profissionais teriam interesse em ampliar sua carga horária de trabalho, passando de 20 para 30 horas semanais.

A pesquisa será feita pela internet e ficará disponível até o final desta semana. Deverão responder o questionário cerca de 2.300 professores do Ensino Fundamental e 180 de Educação física, que estão atuando. A pesquisa será feita a título informativo, ou seja, não terá validade legal, contudo a Secretaria espera o resultado da mesma para definir se enviará o projeto que propõe a mudança para votação na Câmara Municipal de Londrina, já na próxima segunda-feira (20).

A secretária da pasta, Maria Tereza Paschoal de Moraes, disse que o Município pretende lançar um programa de melhorias na educação em Londrina, a fim de atingir a nota máxima no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), principal indicador da qualidade da educação básica no Brasil. “Para isso estamos propondo que os alunos saiam de 800 horas/aula por ano para 1000, o que ao final de cinco anos eles terão estudado o equivalente a seis anos e meio. Será um grande salto, na qualidade da educação, mas isso passa, necessariamente, pela ampliação da jornada dos professores”, explicou.

A diretora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Mariângela Bianchini, informou que a jornada de 30 horas semanais seria cumprida da seguinte forma: 25 horas na escola, três horas em local de livre escolha do professor e duas horas de cursos de formação continuada, que serão oferecidos pela Prefeitura, distribuídos entre formações presenciais e à distância. “Nosso objetivo, com as mudanças, é oportunizar que o aluno tenha mais tempo com o professor regente, para trabalhar componentes curriculares básicos, ou seja, matemática, história, geografia e ciências, para melhorar a aprendizagem do aluno, destacou.

Está incluso na proposta a ampliação da disciplina de Educação Física para crianças de 4 e 5 anos das escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), pois hoje ela é ofertada apenas para os alunos do Ensino Fundamental. Haverá também  a introdução da disciplina de Arte como componente curricular obrigatório, para os alunos do Ensino Fundamental. Hoje, as escolas oferecem algumas atividades de arte, por meio de projetos específicos ou propostas pelo próprio professor de sala de aula.

Caso as medidas sejam aprovadas, as alterações começariam a valer a partir de 2018,  inclusive  contratações de novos professores com jornada de 30 horas semanais. “A ideia é ampliar a jornada de uma única vez, garantindo a isonomia de tratamento e equidade. Contudo, se as mudanças não forem aprovadas, isto acontecerá gradativamente, ou seja, por meio das novas contrações, o que levará muito mais tempo”, frisou Mariângela.

 

Foto: Ilustrativa

Anterior Próximo Pagina:

Acesso Fácil

Núcleo de Comunicação

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 3130 visitantes

Núcleo de Comunicação

Banner
Banner