Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Agravos de Notificação Compulsória - Tuberculose

Índice do Artigo
Agravos de Notificação Compulsória
Aids
Botulismo
Cólera
Coqueluche
Dengue
Difteria
Doença de Chagas
Doença Meningocócica
Esquistossomose Mansônica
Febre Amarela
Febre Maculosa Brasileira
Febre Tifóide
Hanseníase
Hantaviroses
Hepatites
Influenza
Leishmaniose
Leptospirose
Malária
Meningites
Peste
Poliomielite
Raiva
Rubéola
Sarampo
Sífilis
Tétano
Tuberculose
Todas as Páginas

Tuberculose (CID 10 - A15 a A19)

A Tuberculose é um problema de saúde prioritário no Brasil. O agravo atinge a todos os grupos etários, com maior predomínio nos indivíduos economicamente ativos (15 a 54 anos) e do sexo masculino. Doença infecciosa, atinge, principalmente, o pulmão. A Tuberculose primária ocorre durante uma primo-infecção, e pode evoluir tanto a partir do foco pulmonar, quanto do foco ganglionar ou, então, em consequência da disseminação hematogênica, o que acontece em 5% dos primo-infectados, em geral nos primeiros dois anos após a infecção. A Tuberculose pós-primária ocorre no organismo que tem sua imunidade desenvolvida, tanto pela infecção natural quanto pelo BCG. Dos primo-infectados, 5% adoecerão tardiamente, em consequência do recrudescimento de algum foco já existente no seu organismo (reativação endógena). Também pode ocorrer a reinfecção exógena, ou seja, o paciente adoecer por receber nova carga bacilar do exterior. Estes dois mecanismos não podem ser distinguidos clinicamente. Os pacientes com Tuberculoses apresentam comprometimento do estado geral, febre baixe vespertina com sudorese, inapetência e emagrecimento. Quando a doença atinge os pulmões, o indivíduo pode apresentar dor torácica e tosse produtiva, acompanhada ou não de escarros hemoptóicos. A tosse produtiva é o sintoma mais frequente da forma pulmonar. Nas crianças, também é comum o comprometimento ganglionar mediastínico e cervical (forma primária), que se caracteriza por lesões bipolares: parênquima e gânglios. Nos pacientes adultos, maiores de 15 anos, a Tuberculose Pulmonar é a forma mais frequente, atingindo cerca de 90% dos casos. Nos menores de 15 anos, esse percentual é de 75%, podendo, entretanto, se localizar em outras partes do organismo: rins, ossos e meninges, dentre outras, em função das quais se expressará clinicamente. Uma das formas mais graves é a Tuberculose Miliar, decorrente de disseminação hematogênica com acometimento sistêmico, quadro tóxico infeccioso importante e grande risco de meningite. Os pulmões se apresentam difusamente ocupados por pequenas lesões. Os demais órgãos também podem ser acometidos por lesões idênticas.

Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias: Guia de Bolso. 8ª edição. Pág. 412. Ministério da Saúde: Brasília/DF, 2010.



Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 3729 visitantes